Escrito por em-evidencia às 00h08 [ ] [ envie esta mensagem ] []

 

 

 

Será que o CRB tem jeito?

Há meses venho falando sobre o futuro do Clube de Regatas Brasil. Dizia eu naquelas ocasiões que o Clube precisava voltar as suas origens. Contei a história do CRB; os seus fundadores, inclusive alguns meus conhecidos e, sobretudo com o entusiasmo juntamente com mus irmãos Luiz e Antonio Costa que marcaram época nas inesquecíveis regatas na enseada da Pajuçara com tantos outros iatistas como Ernane Marinho, João Serrano, Afrânio Melo Gomes, Claudio Meira Bastos, Agenor e Antenor Pacheco, Carlos Piatti, Gerson Lopes, Ulisses Marinho, Manoel Rodrigues Filho (Manola).  Plínio Ayes e tantos outros que me fogem à memória no momento.

As reuniões esportivas e sociais faziam da velha garagem de barcos sobre a batuta do garageiro Pedro Colírio, o ponto estratégico da família alvirrubra, principalmente aos domingos onde se reuniam atletas das equipes de vôlei e futebol, todos os jogadores associados do clube e alguns deles altos funcionários público ou comerciantes e industriais. Aos domingos, na praia da Pjuçara, os jogadores das equipes de futebol batiam bola com outros adeptos que apreciavam aquela verdadeira “pelada” muito embora tivessem, à tarde, uma partida oficial pelo campeonato alagoano ou até mesmo um jogo amistoso com uma equipe de outro Estado. Nunca decepcionaram sua torcida. Jogavam por amor ao Clube. Enquanto isso os jogadores de voleibol e outros sócios faziam animadas partidas na quadra nos fundos da garagem de barcos, e a turma da “porrinha”comandada pelo Gonzaguinha e Claudio Regis o conhecido “Pipoca”Grande atleta no fuebol do CRB em tempos idos,faziam a festa com a “loira suada.” Não tinha essa historia de concentração, naquela época e todos jogavam desinteressadamente e ainda gastavam do seu bolso com chuteira e outros apetrechos, até a condução aos treinos e jogos do campeonato.

Tudo aos pouco foi mudando. Igualmente como o Centro SpotIvo Alagoano(CSA) que passaram a adquirir jogadores de outras plagas  aí já começou o déficit financeiro, porém alguns jogadores compensaram a sua contratação, entre tantos outros cito com destaque o sergipano Miguel Rosa que considero o melhor jogador de todos os tempos em sua posição, criando raízes em Maceió até o final de sua existência.

Lembro com saudade aqueles bons tempos na garagem do CRB e com muita tristeza quando passo naquele local, onde moravam João Gordo, Senhor Viana - português Presidente da Cooperativa Banco Agrícola e aqueles executivos suíços  da firma Kuine Tecidos S/A. Do amigo Gerson Lopes,um verdadeiro gentleman que residia na rua da Caridade hoje Comendador Almeida Guimarães, ao lado da garagem do CRB.Não sei se aquele prédio onde funcionava o restaurante o Dragão ainda pertence ao Clube e muito menos na esquina aonde era a garagem, aqueles escombros há anos continuam sem solução. Será que ainda pertence ao CRB? E o Ginásio?Ontem vi uma notícia no jornal da TV Gazeta que dizia que a Diretoria estava vendendo o Campo do Clube, de antigas tradições, onde bati bola esportivamente, juntamente com meu irmão Luiz Costa quando o técnico Húngaro, Franz Gaspar, nosso amigo, dirigiu o time por alguns anos conseguindo vários campeonatos. Fui sócio do CRB aos 14 anos de idade, levado pelo  então Diretor Náutico João Cavendish, nosso vizinho na rua do Araçá, hoje Epaminondas Gracindo , em homenagem ao pai do Paulo Gracindo, que por sinal chamava-se Pelopidas Gracindo. Faz, portanto 72 anos que me associei ao CRB e tive a oportunidade atravessar  a “Barra da Morte” na cabeça do Cais do Porto, num barco de lona (fazendo água) de nome Birusca que adquiri por oitenta mi reis do próprio Birusca , irmão do Heider,também grande jogados do CRB nos seus primórdios. Colaborei quando Gerente do Banco do Povo S/A em Jaraguá, com a iniciativa do corretor Daniel Berard, na instalação de cadeiras Cativas  nas arquibancadas cobertas do Clube, com validade de 21/11/65 até 21/11/80 – cadeira nº 22-H, fabricadas no Rio Grande do Sul.que ainda hoje guardo como lembrança dos bonos tempos no Galo de Campina.

No Blog emevidencia.zip.net  encontram-se reportagens sobre o CRB e sua história,desde os seus primórdios, quando foi fundado com a finalidade dirigida AO MR AO MAR. Como bem demonstra no seu hino cantado em tantas glórias no remo e na vela

Escrito por em-evidencia às 00h06 [ ] [ envie esta mensagem ] []

             PUBLICADO NO BLOG EM DEZ. DE 2009

              Como se não bastasse o clima de insegurança e intranqüilidade em que vivemos nesses últimos tempos, ainda temos de aturar notícias desagradáveis de atos praticados pelos nossos mandatários. Diariamente assistimos pelos programas noticiosos na televisão, falcatruas de toda espécie, que cada dia vão ficando mais “aprimoradas” na maneira mesquinha e sutil de nos enganar.

          Se os nossos políticos mal intencionados participassem do dia-a-dia de nossa labuta, com a maestria e as astucias que possuem para tramar tantos malefícios a humanidade, tivessem essa versatilidade para praticar o bem, e por outro lado fazendo justiça coerente com o desejo do povo, retroagindo à ambição, sem sutilezas e com firmeza de atitudes, certamente estaríamos navegando num porto seguro.

          Reportando-me ao próximo pleito eleitoral ainda muito distante, começou a canseira de ter de assistir na televisão algumas figuras dizendo que vai fazer o que não faz e nunca fará. Mentindo descaradamente, procurando como de costume ludibriar a boa fé do povo alagoano. O Tribunal Eleitoral está cassando alguns políticos que usaram desse e de outros expedientes escusos para enganar alguns eleitores menos informados. Se esta medida for levada avante, e certamente será (!). Muita água ainda vai correr por baixo da ponte até as próximas eleições, quem for vivo verá.

           Tem muito político profissional que promete fazer aquilo que não é de sua atribuição. Vangloria-se daquilo que os outros fizeram como sendo de sua autoria. O trem de superfície é hoje o “Carro Chefe” de alguns políticos que pretendem mais uma vez enganar o povo com suas mentiras faraônicas como tantas outras que ficaram na lembrança e jamais foram sequer rascunhadas.

          Uma propaganda mais proveitosa para catequizar o eleitor menos esclarecido, seria, sem dúvida, acabar com a podridão do Riacho Salgadinho na Avenida da Paz, porque se estaria fazendo uma obra proveitosa para aquilo que não tem solução ao longo dos anos e somente promessa, muito embora, mesmo sendo mais uma propaganda enganosa, pelo menos geraria mais consistência para uma necessidade premente.

Escrito por em-evidencia às 22h00 [ ] [ envie esta mensagem ] []

GASTRONOMIA

Você aprecia bons programas de televisão que deixa a gente com água na boca? Assista o comes e bebes gastronômico do Câmara na TV, com muito paladar, mas sem essência para dar aquele toque de qualidade.

Escrito por em-evidencia às 09h16 [ ] [ envie esta mensagem ] []