>

      ACONTECEU

 

          Certa feita quando trabalhei por três décadas numa determinada empresa bancária, gozei de algum prestigio por parte da sua diretoria e principalmente de um dos seus mais importantes diretores que apreciava com certo entusiasmo o meu dedicado e próspero trabalho. Esse diretor, muito embora de grande prestígio em seu Estado e de capacidade econômico financeira das melhores, não possuía nenhum título superior e por esse motivo, certa feita em tom de galhofa argumentou: como não possuía nenhum título de doutor, todos o chamavam de “Seu Zé” quando poderiam chamá-lo de Comendador José de tal! E perguntou-me de maneira sutil e franca, se haveria possibilidade diante dos meus conhecimentos, em conseguir uma Comenda.  Naturalmente repliquei por motivos óbvios, mesmo contando com boas amizades com alguns políticos da época e especialmente com o Governador Lamenha Filho, meu amigo, de quem recebi convite para importante cargo na sua administração, o que recusei por motivos profissionais. Fiz ver ao meu diretor, das condições primordiais para aquela benemerência e por esse motivo não me atreveria a tal procedimento.  Logicamente que o diretor reconhecendo a franqueza da minha atitude, continuou com a mesma firmeza de ações e prestimosidade de sempre, ciente de que vale muito mais a dignidade do homem do que mesmo uma honraria forçada.  

 



Escrito por em-evidencia às 12h35
[
(0) Comente  ] [ envie esta mensagem ] [ ]




     É FÁCIL VIRAR COMENDADOR!

 

 

          Tenho observado que vez por outra é votado no parlamento aprovação de homenagem à personalidade insigne que naturalmente tenha prestado relevantes serviços ao Estado ou ao Município, devendo ser este, naturalmente, o espírito da homenagem. Nem sempre esse preito faz jus a quem se pretende homenagear, tanto é verdade que já aconteceu a revogação de certa homenagem, mesmo após a entrega solene da comenda, naturalmente por motivos óbvios.

 

           Aquele que aparenta merecedor de uma “Comenda” tão significativa, da ordem honorifica, não pode ser contemplado aleatoriamente por amizade ou gratidão.

O valor intrínseco de uma Comenda jamais poderá deixar dúvidas ou omissão, no entanto em algumas ocasiões, verifica-se que interesses escusos podem comprometer a boa fé dos incautos.

 

              Existem figuras que muito fizeram pelo nosso Estado, e algumas que ainda fazem e são esquecidas. É muito raro se conhecer o merecimento daqueles que são homenageados com um título honorífico pelo poder constituído

         Tenho assistido ultimamente, pela televisão, uma série de homenagens meritórias a diversas pessoas, uma delas ao jovem cantor, sempre presente aqui em nosso Estado, contratado, naturalmente, para shows artísticos, a exemplo de tantos outros artistas que por aqui passaram, não significando que tenham prestado relevantes serviços ao município ao ponto de serem homenageados.

          As autoridades devem sempre primar pela concessão desse privilégio, evitando que um título honorífico fique vulgarizado como já vem acontecendo há anos. O mesmo tem                          se dando com o patrimônio público edificado em nossas cidades.

Escrito por em-evidencia às 14h15 [ ] [ envie esta mensagem ] []

E-MAIL DE PAULO NUNES COSTA = PP7HO@IG. COM. BR

Faça seu comentário

Escrito por em-evidencia às 13h59 [ ] [ envie esta mensagem ] []

>

    ACONTECEU NUM TAXI                                      Uma mulher, de táxi, com a filha de 11 anos, anda à noite.  No caminho, a menina vê mulheres rodando 'bolsinhas’. -Mãe, o que aquelas mulheres estão fazendo?-Esperando seus maridos saírem do trabalho. O taxista rindo, diz:

-Fale a verdade para a garota...  Elas são prostitutas, e estão esperando clientes que lhes paguem para fazer sexo!

Todos ficam calados até que a menina pergunta: 

-Aquelas mulheres também têm filhos, mamãe?

-Claro que sim, filha! Como você acha que nascem os taxistas?!

MORAL DA ESTÓRIA: nunca se meta na conversa dos outros! 



Escrito por em-evidencia às 23h08
[
(0) Comente  ] [ envie esta mensagem ] [ ]




PROVOCAR GENTE INTELIGENTE PODE SER MUITO PERIGOSO...!

 

Certa vez (fato verídico) Einstein recebeu uma carta da miss New Orleans/USA, onde ela dizia:

" Prof. Einstein, gostaria de ter um filho com o senhor... A minha justificativa se baseia no fato de que eu, como modelo de beleza, tendo um filho com o senhor, certamente o garoto teria a minha beleza e a sua inteligência!".

 Einstein respondeu-lhe: " Querida miss New Orleans, o meu receio é que o nosso filho tenha a sua inteligência e a minha beleza...

 

*****************************************

 

Quando Churchill fez 80 anos, um repórter (de menos de 30) foi fotografá-lo e disse:

- Sir Winston, espero fotografá-lo novamente nos seus 90 anos.

 

Resposta de Churchill:

- Por que não? Você me parece bastante saudável...

 

Telegramas trocados entre o dramaturgo Bernard Shaw e Churchill, seu desafeto. Convite de Bernard Shaw para Churchill: "Tenho o prazer e a honra de convidar digno Primeiro-Ministro para primeira apresentação minha peça Pigmaleão. Venha e traga um amigo, se tiver."

Bernard Shaw.  Resposta de Churchill:

"Agradeço ilustre escritor honroso convite. Infelizmente não poderei comparecer primeira apresentação. Irei à segunda, se houver." Winston Churchill.

 

*****************************************

 

O General Montgomery estava sendo homenageado, pois venceu Rommel na batalha da África, na II Guerra Mundial. Parte do seu discurso: "Não fumo, não bebo, não prevarico e sou herói".

Churchill ouviu o discurso e com ciúme, retrucou: Eu fumo, bebo, prevarico e sou o chefe dele!”

Bate-boca no Parlamento inglês.

Aconteceu num dos discursos de Churchill em que estava uma Deputada oposicionista, Lady Astor, que pediu um aparte. Todos sabiam que Churchill não gostava que interrompessem os seus discursos. Mesmo assim concedeu a palavra à Deputada. E ela disse em alto e bom tom:

- Senhor Ministro, se V. Excia. fosse o meu marido, eu colocava veneno em seu chá! Churchill, lentamente tirou os óculos, seu olhar astuto percorreu a platéia e com o silêncio com que todos aguardavam, lascou: - Nancy, se eu fosse o seu marido, eu tomaria esse chá!

Escrito por em-evidencia às 12h31 [ ] [ envie esta mensagem ] []